igreja católica brasileira??

A "Igreja Católica Apostólica Brasileira" (ICAB), têm lançado confusão entre o público, pois os líderes de tal "igreja" pretendem guardar a aparência da Igreja Católica, e além disso facilitam a praxe religiosa para seus seguidores. - Daí a conveniência de uma análise mais precisa do fenômeno.

Origem da ICAB

A "Igreja Católica Apostólica Brasileira" (ICAB) tem como fundador D. Carlos Duarte Costa, nascido aos 21 de julho de 1888 no Rio de Janeiro. D. Carlos recebeu a ordenação sacerdotal a 1º de abril de 1911, e aos 4 de julho de 1924 foi nomeado Bispo de Botucatu (SP).

Infelizmente, o governo do novo prelado foi desastroso: viu-se envolvido em questões de mística desorientada (devoções pouco condizentes com a sá doutrina), e também enfrentou problemas de administração financeira e de embates políticos. Em consequência, foi afastado de sua Diocese e nomeado Bispo Titular de Maura (na Mauritânia, África Ocidental). Fixou então residência no Rio de Janeiro.

Em breve, porém, D. Carlos envolveu-se em novas dispuutas: em 1942, o Brasil entrou em guerra contra o nazismo e o fascismo; nessa ocasião o bispo apelou publicamente para o Presidente da República a fim de que interviesse na Igreja e expulsasse os bispos e sacerdotes que adotassem posição diferente daquela por ele defendida. Acusou a Ação Católica de espionagem em favor do totalitarismo da direita; prefaciou com elogios o livro "O Poder Soviético", de Hewlet Johnson, e atacou por escrito as Forças Armadas do Brasil.

Em consequência de todos estes atos imprudentes, foi preso como comunista e enviado a uma cidade de Minas Gerais, onde permaneceu na qualidade de hóspede.

Diante dos rumores que se propagavam em torno da pessoa de D. Carlos, as autoridades eclesiásticas procuraram apaziguá-lo. Mas essas tentativas não davam resultado, e D. Carlos foi suspenso de suas ordens, isto é, perdeu a autorização para exercer as funções do sagrado ministério, em 1944. Mas esta medida, infelizmente, de nada serviu; D. Carlos continuou a desafiar a autoridade da Igreja e a renegar as recomendações e advertências. Por isso, foi excomungado (excluído da Comunhão Católica) aos 6 de julho de 1945.

Neste mesmo dia resolveu fundar a sua própria "igreja", que chamou "igreja católica apostólica brasileira". Em vista desta atitude, o Santo Ofício declarou D. Carlos excomungado vitandus (isto é, está fora da comunhão e deve ser evitado pelos fiéis cristãos) aos 3 de julho de 1946.

Um dos primeiros atos públicos da ICAB foi a fundação do "Partido Socialista Cristão", sob a orientação de D. Carlos. Este chegou a apresentar um candidato à presidência da República, com o qual, porém, logo se desentendeu, ficando fracassado o novo Partido.

D. Carlos promoveu direta ou indiretamente a ordenação de numerosos falsos "bispos" e "presbíteros", cuja formação doutrinária e cultural era precária. O infeliz prelado veio a falecer aos 26 de março de 1961. Terminou sua vida de maneira desvairada, obcecado por paixões, que se exprimiam em injúrias através de um jornalzinho denominado "Luta". Um concílio nacional da ICAB, aos 6 de julho de 1970, chegou a atribuir-lhe o título de "santo"!..


Doutrina e atuação da ICAB

Em matéria de doutrina, a ICAB procura imitar a verdadeira Igreja Católica, excluindo, é claro, o Primado de Pedro... A sua mensagem teológica é diluída, confusa, pois os seus orientadores estudam bem pouco. Vários deles são homens que tentaram chegar ao sacerdócio na Igreja Católica, mas, por um motivo ou outro, não o conseguiram. Passaram-se então para a ICAB, onde o estudo e o acesso às ordens lhes foram muito facilitados. Infelizmente nota-se nos membros da hierarquia e nos fiéis da ICAB certo oportunismo, ou seja, a procura de atender a interesses pessoais: "ordenação sacerdotal" ou "episcopal", lucros financeiros mediante celebração do culto, "casamento" facilitado em favor de pessoas já casadas, "batizados" sem preparação dos pais e padrinhos...

Temos a impressão de que a ICAB procura adeptos a qualquer preço. Consta, por exemplo, na Lista Telefônica de Assinantes e Classificados do Rio de Janeiro:

"ICAB, Igreja Católica Apostólica Brasileira, Paróquia São Jorge: casamento com ou sem efeito civil de pessoas solteiras, desquitadas e divorciadas. Crismas. Consagrações. Também em residências ou Clubes Realengo, Piraquara".

Dado que a ICAB se adapta às oportunidades que encontra para crescer, há atualmente muitos ramos desta "igreja" independentes uns dos outros, o que sugere a denominação "igrejas católicas apostólicas brasileiras" em vez de "igreja brasileira".

O motivo de essa corrente corrente religiosa obter certo êxito está, principalmente, no fato de ela
reproduzir os ritos católicos e conservar os símbolos (inclusive da linguagem) da Igreja Católica Apostólica Romana. Muitas pessoas não conseguem distinguir entre a Igreja Católica e a Igreja Brasileira. E parece haver a intenção de guardar em tudo as aparências da Igreja Católica entre os responsáveis das Igrejas Brasileiras.

Finalizando, deixamos o nosso alerta: povo católico, esteja atento, pois as heresias e falsas doutrinas não param de crescer em nosso mundo e nossa sociedade!

Poema "Conversão de São Paulo Apóstolo"


Clique aqui e leia o poema da estimada paroquiana e catequista Arminda F. Pitta.

Terço dos Homens


Os encontros dos homens para a reza do santo terço acontece todas as terças-feiras, na Paróquia São Paulo Apóstolo do Belém, após a Missa das 19h30. Venha participar deste momento de oração e meditação junto conosco!

Só podemos introduzir-nos à contemplação do rosto de Cristo escutando, no Santo Espírito, a Voz do Pai, porque "ninguém conhece o Filho senão o Pai" (Mt 11, 27). Diante da confissão de Pedro, Jesus especifica a Fonte da intuição a respeito de sua identidade: "Não foi a carne nem o sangue que te revelaram, mas o meu Pai que está nos Céus" (Mt 16, 17). É necessária a Revelação do Alto. E para acolhê-la, é indispensável que nos coloquemos à escuta.

"Só a experiência do silêncio e da oração oferece o ambiente adequado para se desenvolver um conhecimento verdadeiro do Mistério Divino."
João Paulo II

"Oração evangélica, centrada sobre o Mistério da Encarnação Redentora, o Terço é, por isso mesmo, uma prece de orientação profundamente cristológica. Na verdade, o seu elemento mais característico, – a repetição litânica do 'Alegra-te, Maria' – torna-se também ele louvor incessante a Cristo, objetivo último do anúncio do Anjo, como é também o da saudação da mãe do Batista: 'Bendito o fruto do teu ventre' (Lc 1, 42). A repetição da Ave Maria constitui a urdidura sobre a qual se desenrola a contemplação dos Mistérios; aquele Jesus que cada Ave Maria relembra é o mesmo que a sucessão dos Mistérios propõe".
Paulo VI